Conhecendo o meu Sagrado Feminino

Percebi que meu coração esta semana estava em profunda conexão com o meu Sagrado Feminino. Senti o chamado de escrever um pouco sobre o que é este “estilo de vida”, como alguns chamam, mas eu, particularmente, acredito que é algo muito maior que isso.

Eu comecei a realmente entender o que é o Sagrado Feminino somente no momento que comecei a curar meu feminino e compreender que ele estava machucado e precisava de cuidados.

Através de sessões com a bebida Ayahuasca, vaporizações uterinas, tinturas, meditações e principalmente através de reuniões e encontros onde ocorrem círculos femininos.

As reuniões dos círculos femininos são bênçãos que a Mãe Terra nos presenteia. Partilhas, danças, cantos, saudações, fogueiras, tambores, uivar para a lua! Entre muitos outros momentos que partilhei, fui curada e fui curandeira, tudo junto com minhas irmãs.

As rodas das mulheres auxiliam a despertar e alinhar mentes, corações e espíritos em ações que visam a cura e a transmutação das feridas da psique. Quando nos permitimos a passar por estas experiências, percebemos grandes mudanças em nossas vidas.

12265828_191871504482886_8493471625180580824_o
Círculo Feminino com ervas medicinais. Fonte: www.inesgaya.com

“O Sagrado Feminino diz respeito tanto à mulher quanto ao homem. Para que os valores femininos possam ser compreendidos e vividos, são necessárias profundas mudanças em todas as áreas: social, política, cultural, econômica, familiar e espiritual. Uma nova consciência do Sagrado Feminino surgirá tão somente quando for resgatada a conexão espiritual com a Mãe Terra, percebida e honrada a Teia Cósmica à qual todos nós pertencemos e assumida a responsabilidade de zelar pelo seu equilíbrio e preservação.”                                                                                                                            Mirella Faur, 2012

Foi aos pouquinhos que fui me conscientizando do quanto nós mulheres somos sagradas. O quanto nosso útero é um baú de memórias inteligente, que assimila e guarda tudo o que nossas ancestrais e nós vivemos, é um grande vaso que a tudo acolhe, sem julgamentos.

Se colocar sua mão sobre ele já sentirá que é algo diferente do que tocar em qualquer outra coisa, é um órgão movimentado e poderoso, trabalha constantemente iniciando e fechando seus ciclos, em um círculo de vida e morte, trazendo a energia de criação e a energia da destruição.

Percebe o quanto é sério? E o quanto precisa ser bem cuidado?

A conexão intensa também que o útero possui com nossas mães, avós e bisavós. Uma deusa saindo de dentro de outra que saiu de dentro de outra, é uma ligação muito especial, que conecta todas as mulheres.

Outra ligação muito sagrada: A ligação das mulheres com a Mãe Terra, a prática de plantar a lua, que seria (muito) resumidamente entregar seu sangue menstrual para a terra em agradecimento, respeito e profunda conexão, pedindo humildemente que a Terra a cure.

O contato com as plantas também foi muito importante para mim, conhecer os poderes de medicinas como: Lavanda, Artemísia, Camomila, Arruda, Alecrim, Manjericão, dentre muitas outras, foi crucial para que eu pudesse me cuidar da maneira mais natural possível.

Atualmente não tomo medicamentos há mais de um ano, por conta desta conscientização, que é uma sabedoria que todas nós mulheres carregamos, do arquétipo da Anciã.

Todas nós mulheres somos deusas, temos um universo inteiro dentro de nós, somos a manifestação divina da Grande Mãe, ela vive e pulsa dentro de nós.

A Deusa, é interpretada de diversas maneiras em múltiplos simbolismos, nós somos a Deusa Donzela (Lua Crescente), Deusa Mãe (Lua Cheia), Deusa Anciã (Lua Nova ou Lua Minguante), a lua é uma grande representante das energias femininas e da Deusa e simboliza estas três faces.

As mulheres vivem todas estas fases, como por exemplo no período da menstruação estamos na fase anciã, preferimos a reclusa, um momento de introspecção e principalmente um momento de sabedoria, nosso lado “velha” se manifesta, em pequenos detalhes, na feitura de um chazinho para dor por exemplo, assim como na fase Mãe (quando ovulamos) estamos mais carinhosas, maternas e acolhedoras.

Este tema possui muitas curiosidades, infelizmente são impossíveis de serem mencionadas todas aqui. São muitos os mistérios e algumas coisas devem permanecer como mistérios, outras podemos e temos permissão para desvendar.

Por isso para auxiliar os homens e mulheres que estão lendo este texto e se interessam por conhecer e mergulhar um pouco em si mesmos, deixo abaixo algumas sugestões.

Fiquem na paz!

Anúncios

Categorias:EspiritualidadeTags:, , , , , , , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s