Os 4 gigantes da alma – Medo

Muitas vezes deixamos nos controlar por forças que não são naturais ao seres humanos. Tais forças são artificiais que são impostas e sobrepostas em nossa cultura diária e no modus vivendi  predador e bélico ao qual estamos inseridos.

Estamos fadados ao pensamento da competitividade, ao desamor, a competição, ao que está ou não dentro das “normas vigentes” de cada cultura para que a sociedade funcione de maneira uniforme e com controle absoluto de seus corpos e pensamentos para que o gado não se revolte e se posicione contra o sistema.

Como identificar que o medo está nos assolando? Como entender tal sentimento?

Começo hoje uma explanação sobre o livro “Os quatro gigantes da alma” do professor Emilio Mira Y Lopes (Quarta edição, Livraria José Olympio Editora, RJ, 1966) e assim discutir um pouco os pontos contidos em cada item: o Medo, a Ira, o Amor e o Dever se sobrepondo uns aos outros e se complementando como positivo e negativo, quente e frio; sendo suas polaridades muito bem trabalhadas e compreendidas. Teremos também uma explanação prática em meu blog pessoal se estendendo um pouco mais para os mais interessados na praticidade de limpeza e reorganização sos sañkhäras* (a pronúncia é sankáras)  que habitam nosso corpo como resquício materializado dos nossos registros Akashicos*.

Como fugir do medo? Não há como.

Não existe possibilidade de fuga. Não somos seres que viemos para este Planeta, para esta Densidade à toa. Não somos feitos com medo ou com receio, nossa essência divina que reside dentro de nós está esperando um chamado apenas, para que possamos estar cada vez mais conectados com o Cosmos. Imaginem só se Héracles (Hércules) ficasse com medo ou receio de cumprir seus 12 trabalhos, e o que poderíamos pensar de Thor que após ser desafiado pelo pai Odin a ter seu totem só devolvido quando ele ancorasse o Verdadeiro Entendimento dentro dele. Se ele tivesse ficado mais tempo se lamentando poderia ter um destino nada satisfatório para um jovem semi-Deus que adora beber Hidromel com seus amigos em Asgard. Este Thor carrega consigo o cinturão que o protege. Temos acesso a este cinturão, meus caros. Este mesmo cinturão é o que nos protege de estar sempre com medo e de nos sentirmos desconectados com a Fonte Divina Deus Pai/Mãe.

Pensemos como Deuses que somos. Não fiquem com receio destas palavras. Se você pode não crer nelas está tudo bem, porque você é o seu próprio guru, mestre e messias. Não crer em tudo o que te falam ou dizem é soberania. O que podemos entender pelo nosso coração é a diferenciar o joio do trigo e seguirmos o caminho. No livro “Os quatro Gigantes da Alma” ele fala sobre um estudo cientifico feito a partir de um grupo de bebês que durou cerca de 20 anos. Ficou sabendo que enquanto somos bebês nossa estrutura corporal e celular não se contaminou ainda com o medo, frustração, raiva, rancor que está guardada em nossos registros Akashicos.

O medo se instaura a partir de células que o autor nomina como “vazias” (mais uma analogia com o “Caos Primordial” que é citado em todas as religiões), ou seja, elas não contém informação psíquica dentro delas e assim estão livres para serem preenchidas com toda e qualquer sensação que o nosso corpo está preparado para conhecer/relembrar. Eles concluíram que uma simples brincadeira de jogar a criança para o alto e a segurar a conecta com sentimentos de “baixa”vibração cuja vontade de acessar geralmente não é uma escolha consciente, somos programados para repelir tais sensações ao invés de transmutarmos para o amor incondicional e elevarmos à Verdadeira Luz. Qual o motivo de tanta fuga? Por que nos fazemos de fracos sendo os seres mais fortes que os Cosmos testemunharam a trajetória? Vamos parar para pensar no porquê para que possamos compreender e assim transmutar.

Quando, ancestralmente, o tempo não era prioridade e contabilizado;

Once upon a time… Sim, a muito, muito, muito tempo atrás quando o tempo não era contabilizado ou não era algo tido como uma prioridade e contabilizado a cada respiração do Ser, antes que a cultura se desfizesse, antes que o domínio de alguns se fizesse contra seus irmãos, antes de tudo, existia paz e harmonia, existia um Ser chamada Gayá (pronúncia sânscrita) ou Sophia de seres extremamente evoluídos geneticamente com pelo menos 12 filamentos em seus DNA’s e vivendo em harmonia. Existia uma camada de água em volta do Planeta como uma espécie de capa que podemos entender como o nosso campo magnético que circula a Terra. Chovia constantemente uma garoa morninha e todos o Corpo de Gayá era uma enorme floresta tropical cujos habitantes se deliciavam e agradeciam todos os dias por viverem sobre tal Ser.

A harmonia era plena e podemos ter uma ideia aproximada de como era no filme Avatar. Os seres não se comiam, não se maltratavam, não havia hierarquia como conhecemos, os trabalhos eram divididos, porém não havia competitividade porque não existia medo ou baixa autoestima. Auto era um modus vivendi e não um termo usado para definir o indefinível. Quando aconteceram as guerras galácticas – é, meu caros, os seres de esferas superiores também guerreiam e não fogem como nós; seguem seus Destinos assim como Arjuna seguiu o seu – o que conhecemos como a Via Láctea se transformou em uma espécie de espelho ao contrário do que entendemos como Céu e Fonte Divina Deus Pai/Mãe. Após a invasão de seres que tomaram como verdade o direito de usufruir deste Corpo Planetário como se fossem seus, modificaram a rotação da Terra para 23,5 graus e fizeram muitas outras peripécias para mudar o eixo de rotação da Terra e assim conseguir implementar a sua agenda de controle e escravização da superfície. O famoso dilúvio contado por todas as culturas se deu quando eles romperam esta camada de água que rodeava a Terra.

Passaram muitos éons e o controle da superfície – existem reinos maravilhosos na Intra Terra que discutiremos mais a frente – está chegando ao fim. Os céus celebram este acontecimento histórico nunca presenciado nos céus. Seres como nós que se submeteram à todas as mazelas, vitimismo, medo, raiva, rancor, frustração, e mais o que você lembrar de sentimentos e sensações não qualificadas estão tendo a oportunidade finalmente de serem quem Verdadeiramente São. Cumprir suas missões de almas e estarem em um nível energético que há muito não se sentia neste Planeta. Estamos chegando ao fim do sofrimento e da escravização. Estamos voltando para casa, finalmente.

Por que temer nosso passado? Por que temer o futuro? Por que temer?

Não precisamos temer nada, ninguém e nenhum acontecimento. Tudo é perfeito e tudo virá para que um aprendizado seja ancorado. Não há imperfeição na Criação Divina. Se o Deus Pai/Mãe é Perfeitoa, porque sua criação seria imperfeita, injusta ou em desacordo com a Bondade dos Céus? Sejamos mais corajosos, precisamos desta coragem para elevarmos as vibrações deste Corpo Planetário que nos recebe com tanto amor e carinho, nos acolhe, nos ama e nos consola quando pedimos consolo (eu já chorei no colo da mãezinha Gayá, foi uma das experiências mais incríveis da minha vida, eu me fundi à Ela e Ela à mim, Foi inexplicável), nos dá amor e compreensão quando pedimos. Sejamos mais parecidos com este Ser que nos trata com extrema hospitalidade mesmo nós machucando Seu Corpinho, machucando sua Consciência. Vamos ajudá-la nesta árdua tarefa? Vamos ser mais Gayá e menos medrosos?

A meditação é algo que nos coloca no nosso Centro.

Não há como fugir dela. Se você é aquele tipo de pessoa que diz: “esta coisa de meditação não é para mim, eu não consigo; é impossível para mim ficar paradinha por horas“. Esqueça isso! Não viva com o medo dentro de você comandando tudo o que você é capaz de fazer. Sejamos donos dos nossos atos, habilidades, intuição, força e fé. Se você reverbera para o Universo que não consegue desempenhar determinada tarefa ou fazer/sentir algo ele responderá para você cada vez mais fechando as portas da percepção para coisas muito maiores e mais profundas. Vamos começar aqui dois exercícios super tranquilos. A oração eu recomendo fazer de manhã ao acordar, antes de sair da cama para que seja um hábito e não caia no esquecimento. Este segundo exercício de alinhamento dos Chakras recomendo fazer à noite quando já estiveres deitado indo dormir. Se dormires no meio do exercício tudo bem, cada dia a mais acordado mais 3 minutinhos, já é um avanço e tanto. Recomendo que estes dois exercícios sejam feitos durante 21 dias.

ORAÇÃO DOS 21 DIAS DO ARCANJO MIGUEL PARA A LIMPEZA ESPIRITUAL (Locução: Gabriel RL)

Exercício de Ativação e Alinhamento dos Chakras

Gratidão.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s