Viagem Internacional: Vacina para Febre Amarela.

  • 1°: Tome!

Por mais que você odeie vacinas, por seu medo de injeção por não querer injetar substancias gerenciadas pelo Governo nas suas veia. Por mais que tenha suas mil justificativas, eu realmente preciso te cortar essa história.

Eu bonitinha, não tomo vacinas e como fui viajar sem planificar, não tomei.

 

Na Argentina não pediram, na Bolivia e no Peru também não. Mas no Equador…

Um dia tive que ir até na Fronteira – Peru – Equador. Porque eu pretendia permanecer mais tempo no Peru e o meu visto de 3 meses estava acabando. Fui à fronteira e eu não tinha tomado a  Vacina de Febre Amarela, e aí? Não me deixaram entrar no Equador, mesmo que a minha intenção não fosse realmente entrar no Equador.

Meu lindo passaporte hoje tem um carimbo de entrada no Peru, depois um de saída e novamente um de entrada. Como isso foi possível? Eu realmente tive ajuda de boas pessoas que trabalhavam na fronteira, se não isso poderia ser um grande problema, imagina se eles me negam entrar no Peru novamente porque eu não cheguei a entrar em nenhum outro país? Naquele momento eu estava desesperada no meio das duas fronteiras e me ajudaram, mas essa história poderia ter acabado com uma deportação.

 

O Cartão de Vacina: Tarjeta Amarilla – Certificado Internacional de Vacinação.  Clique aqui para saber mais.

Você deve buscar um posto de saúde para tomar a vacina, com pelo menos 10 dias de antecedência da viagem.

Depois você tem que buscar um posto de Certificado Internacional de Vacinação (CIPV). Onde a Anvisa vai emitir um certificado valido para viajar.

 

O que levar para obter o certificado?

Em um ponto Certificado pela Anvisa, leve a sua carteirinha de vacinação com a comprovação que a Vacina de febre amarela foi tomada em um estabelecimento de saúde reconhecido junto com algum documento de identificação. (não precisa ser o passaporte)

 

Atenção: Dose fracionada x dose padrão

Viajantes que precisarem da emissão do CIVP têm que tomar a dose padrão da vacina. Consulte antes no local de vacinação a disponibilidade da dose. É preciso mostrar um comprovante de viagem no ato. Além dos viajantes, crianças de 9 meses a 2 anos, gestantes e pessoas com condições clínicas especiais (com HIV/AIDS, após término de tratamento com quimioterapia, com doenças hematológicas) também só podem tomar a versão padrão da imunização.

 

Vacina precisa ser renovada?

Uma só aplicação da dose padrão, segundo a Organização Mundial da Saúde(OMS) e o Ministério da Saúde, oferece imunidade por toda a vida. Já a dose fracionada precisa ser renovada em nove anos.
Mais informações no site do Ministério da Saúde. 

E no Portal Anvisa.

 

 

Fonte complementar: O Globo.

 

 

Anúncios

Categorias:Dicas de viagem, DocumentaçãoTags:, , , , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s