Salar de Uyuni – Chegamos a Bolívia.

Próxima parada: O Salar del Uyuni. Pegamos um trem muito bom, super equipado, confortável. A passagem de ônibus era mais barata, e mais rápido, mas a vista, a experiência e o conforto do trem tornaram essa a melhor opção.

Contei no post anterior como foi cruzar a fronteira Argentina – Bolívia.

Com mais um dia de viagem, chegamos a noite no Salar, a fama do povoado ser extremamente frio nos deixou preocupados. Uma senhora nos encontrou na saída da rodoviária e nos encaminhou para sua hospedagem, muito humilde mas com água quente e wifi.

Essas alturas eu já estava doente, creio que tomei muita friagem, sentia muito frio e problemas para respirar.

 

Mas como já estava lá, vamos ao Salar!

Meus amigos se dispuseram a buscar um tour de um dia, mesmo que haja a possibilidade de pegar um ônibus local e descer no salar e pagar menos por isso. Queríamos o conforto do tour, que geralmente inclui alimentação e locomoção por todo o salar.

 

Dicas sobre os tours.

 

  • Os tours incluem refeições e a diferença de preço sem, não compensa.
  • Não pense que a alimentação é sofisticada: Um prato de arroz, salada, para vegetarianos ovo frito.
  • Não confie plenamente no tour, o nosso nos enganou alegando não ser possível ver o espelho d’água, quando era possível.
  • Os carros para o Salar cabem 4 pessoas, quanto mais pessoas, mais barato se torna o tour.
  • Há possibilidades de tours por vários dias, incluindo chegar até o Deserto do Atacama no Chile.
  • É essencial óculos escuro, a claridade do sol prejudica a visão.

 

O Salar de Uyuni é um dos lugares mais incríveis que já conheci.

Mas o seu povoado é muito pobre e simples, logo, quando se busca realmente conhecer a vida local, te recomendo caminhar pelas ruas fora da região de turismo porque essa é a Bolívia além das suas belas paisagens.

 

arquivo-pessoal-@mirellarruda
Um pouco da Delegação Clandestina no Salar del Uyuni.

 

Povoado do Salar

  • O preço do cambio no Salar estava muito melhor do que as cotações no Brasil na mesma época e também do que na cidade fronteiriça de Villazon.
  • Se proteja muito bem do frio, a sensação térmica pode não ser tão baixa mas faz muito frio.
  • Cuidados: Com a alimentação, os restaurantes são muito caros e a comida de rua não é muito recomendada por vários incidentes de intoxicação alimentar, eu, lhe recomendo comprar frutas e verduras, e se possível, cozinhar.

 

Curiosidades:

  • É possível acampar no salar, mas prepare seu equipamento para o frio.
  • É possível escolher o que quer incluir no seu tour por ele.

 

Interesse econômico com o salar. 

  • Segundo informações locais, o Salar é o maior do mundo. A Bolívia tem interesse em comercializar mas isso não é interessante para nenhum país porque todos possuem seu próprio sal, logo a melhor forma de aproveitar é o desenvolvimento do turismo na região.

 

Vamos para Potosi.

Depois do Salar decidimos irmos para Potosi, a segunda cidade mais alta do mundo.

Atenção: Nós compramos na hora a passagem de ônibus, pechinchamos muito e os valores caíram. Mas as belgas que estavam conosco, compraram passagens para outra cidade, com troca de ônibus em Potosi, a passagem era falsa, elas perderam o dinheiro e quando chegaram em Potosi na madrugada ainda tiveram que busca onde dormir, não há possibilidade ressarcimento e muito menos forma de entrar em contato com a empresa.

 

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s